Se a nossa aura fosse tão perceptível quanto o nosso cabelo, pareceríamos diferentes da imagem que projetamos no dia-a-dia, através de atitudes ponderadas? Algo mudaria na forma como as pessoas nos vêem, se as minúcias da nossa personalidade fossem desveladas? Pensemos se haveria algo de que nos envergonhar, se os nossos instintos e pensamentos mais íntimos fossem jogados ao vento. Somos tão predispostos em apontar o defeito do outro, mas, pouco endereçamos esse olhar para dentro de nós. E, só sabemos de que somos capazes para alcançar os nossos objetivos, quando a nossa integridade é posta à prova pela vida. Felizmente, a busca pelo autoconhecimento tem sido um objetivo comum entre os que entendem a necessidade de evoluir.

Reconhecer potenciais e limitações, vulnerabilidades morais e de caráter, nos ajuda a dar passos largos em direção ao amadurecimento, e acende um clarão para a compreensão e condução dos nossos relacionamentos, seja na esfera pessoal ou profissional. Despir-nos de todos os subterfúgios não é tarefa simples. A alma humana é uma incógnita, suscetível a auto-sabotagem. Não é fácil adentrar o seu âmago. Tudo o que pensamos conhecer sobre nós mesmos está ancorado na nossa crença acerda do que no fundo admiramos e queremos ser. Mostramos a nossa verdade mais conveniente. E, de quantas máscaras lançamos mão, às vezes, para esconder o nosso lado obscuro? O fato é que quanto mais nos “especializamos” no pernicioso exercício da dissimulação, nos subjugamos a uma auto-sugestão capaz de convencer a nós mesmos de uma auto-imagem ilegítima.


O autoconhecimento para a justificação dos nossos erros é uma busca em vão. Quanto mais avançamos nessa viagem para dentro de nós, maior a nossa responsabilidade sobre os nossos atos. Não há como ir contra o propósito maior da vida, que é a evolução. Precisamos nos conhecer para, então, alcançarmos um nível de entendimento mais profundo conosco, e com as pessoas que a vida colocou no nosso caminho para serem instrumentos do nosso aprendizado. Não nos acomodemos com o que somos hoje. À medida que nos melhoramos, tudo e todos mudam em nosso favor.


Foto divulgação


This entry was posted on terça-feira, fevereiro 16, 2010 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

4 comentários:

    Anônimo disse...

    Show de bola Cris! Saudade . Bjos Lu Carvalho

  1. ... on 17 de fevereiro de 2010 02:38  
  2. Camilla disse...

    Tenho até medo de comentar algo mais sério a respeito disso porque sei que, vez ou outra, também me valho desses artifícios "pra melhor passar".
    Aliás, todos nos valemos, pois é a medida da evolução de cada um que mostra quão clara está nossa aura.

    Ainda temos muito que aprender. Todos nós.

    Beijos, Cris!! Virei filósofa por um instante por causa desse seu texto show! haha

  3. ... on 18 de fevereiro de 2010 18:35  
  4. Anônimo disse...

    Amiga, ler o que você escreve, simplesmente exalta a nossa alma, nos faz refletir. Você é e sempre será DEMAISSS!!! Graça Gomes

  5. ... on 5 de março de 2010 04:20  
  6. Anônimo disse...

    Uma verdade nua e crua irmã!!
    A nossa Aura tem várias máscaras de acordo com o que mais nos convém. Espero usar as minhas melhores... Hehehehe
    Show de bola!! Adorei!!
    Beijos...
    Cristiene Menezes Grangeiro

  7. ... on 7 de abril de 2010 07:05