Há vinte anos, eu preparava-me para o nosso primeiro encontro. Estava ansiosa e desejava muito que você fosse uma menina. Não quis saber o sexo durante os nove meses. Optei pela feliz surpresa. E não vivenciei, até hoje, alegria maior que a de te receber. Princesa... Como é bom te chamar assim, sempre. Desde quando você ainda cabia em minhas mãos. O tempo voou, é verdade. Mas é a mesma princesa linda que eu peguei nos braços há exatas duas décadas, razão maior da minha vida. Deus foi muito generoso comigo ao me conceder você. Obrigada por tudo. Por ter se tornado esse ser que me enche de orgulho. Por não ter feito em vão, a minha energia e dedicação... Toda a minha luta, o meu empenho, a minha determinação em prol do teu bem. Errando, tropeçando, pedindo a Deus, luz, mas sempre, sempre, querendo com todas as forças, acertar. A qualquer preço, acertar.

Olho para você hoje e digo, “obrigada Pai”, pois, afinal, deu tudo certo! Está aí, a filha que eu sempre quis. Não, para satisfazer o meu ego, me envaidecer. Mas, para enfrentar a vida, independente de mim. Sei que está preparada porque reconheço em você uma alma boa, uma pessoa do bem. Virtude que sempre te cercará de amigos e que vai te manter próxima de Deus. Sinto que é forte o bastante para se levantar, se acaso cair. Inteligente, para enfrentar os desafios. Capaz de agir com discernimento, portanto, livre para fazer as suas escolhas, construir os seus sonhos e, sobretudo, realizá-los. Lembre-se: ninguém sentirá o seu amor, a sua dor, a sua intuição, viverá a sua vida por você.

Pudera todas as mães confiar em seus filhos, como eu confio em você. Isso me dá uma paz imensurável. Não que eu espere que seja exemplo para o pequeno mundo que nos cerca. Tão pouco, que me poupe de preocupações. Essa paz nasce da certeza de que, faça o que fizer, fará com consciência, como melhor sabe e pode fazer. Não tenha medo de errar. Aprendemos muito com os erros. A vida tem muito a nos ensinar, filha. Às vezes, cometemos bobagens por acreditar que detemos grande conhecimento. Mas, nunca estamos livres de fracassar. Temos esse direito, afinal. Faz parte do processo de evolução, amadurecimento. No entanto, princesa, quando temos o sincero desejo de fazer certo, com dignidade, honestidade... Quando o senso de justiça tem primazia em nosso coração, e buscamos verdadeiramente ser melhores a cada dia, incessantemente... Deus intercede por nós. A nobre intenção é um canal direto com Ele. Sempre haverá uma nova chance, um novo caminho e uma luz a nos guiar. Decerto, no momento adequado, a janela se abre à nossa frente, e uma nova oportunidade “pisca” para nós.

Eu nasci por ti, princesa. Para te receber, te amar incondicionalmente. Você é a coisa mais importante da minha vida. E eu SEMPRE estarei contigo. SEMPRE. Parabéns pelos seus 20 anos. Sei que é uma jovem feliz e com uma história linda para viver. Não importa o tamanho do seu sonho. Ele só precisa ser grande e valoroso para você. Como disse acima: ninguém viverá sua vida por você. Estarei sempre a te apoiar. Eu amo você.


This entry was posted on segunda-feira, junho 29, 2009 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

7 comentários:

    Camilla disse...

    Cris,
    Primeiramente, que texto lindo!!
    Vc, como sempre, conseguindo transmitir todos os sentimentos para o papel com tanta clareza, tanta facilidade...

    À Manu, só nos resta dar os mais humildes parabéns por essa grande mulher que desponta no ar com força total! ;D

    A vc, Manu, desejamos muita luz, sabedoria, sorrisos e paz para a sua vida que, presumimos, será brilhante!

    Beijos mil!

    Das sinceras amigas,
    Camilla e Márcia.

  1. ... on 30 de junho de 2009 19:23  
  2. Anônimo disse...

    Escrever na net é bom, pois dá oportunidade a vários comentários que engrandecem quem escreve.
    O texto é muito belo, afinal fala do amor incondicional de mãe e filha e cabe em qualquer bom livro que a autora venha a publicar.
    Mas gostaria de fazer uma consideração de ordem formal do texto: é que a autora ora escreveu na segunda, ora na terceira pessoas do singular. Claro que quando se usa o pronome de tratamento "você", isto pode ser aceito, mas em alguns trechos este pronome não está presente e, mesmo assim, opta-se pela terceira pessoa.
    Em Portugal, esse problema não acontece, já que pouco se usa este pronome de tratamento. Lá se encara de frente as conjugações verbais da segunda pessoa.

    Marcos Sousa/Natal.

  3. ... on 15 de agosto de 2009 12:12  
  4. Cris Grangeiro disse...

    Caro Marcos,

    Todas as considerações postadas aqui são bem vindas, sejam em forma de crítica ou elogio. Sinto-me muito grata pela visita de cada um de vocês, e deixa-me especialmente feliz, quando seguida do registro de um comentário.
    No artigo "Brasil Despedaçado", recebi muitas críticas de ordem "conceitual", uma vez que política já é por si um tema polêmico. Porém, não rebati ou exclui nenhuma delas, embora algumas tenham sido um pouco ofensivas. Sobretudo, acho super importante a liberdade de expressão. Essas divergências de opiniões enriquecem as nossas reflexões.
    Sobre a sua consideração, não teria havido um equívoco? Eu não escrevi ora na segunda (você), ora na terceira pessoa (ela). Se observar melhor, verá que uso somente a segunda pessoa. O "você", quando não citado, está subentendido para não se tornar repetitivo.
    Obrigada por sua participação.

    Um grande abraço!

    Cristina Grangeiro

  5. ... on 16 de agosto de 2009 07:02  
  6. Anônimo disse...

    Cris, desculpe-me a insistência, mas me refiro às frases de segunda pessoa como "...alegria maior que a de te receber." e "...em prol do teu bem.", mescladas com as frases de terceira pessoa como: "Parabéns pelos ´seus´ 20 anos." e "Não importa o tamanho do ´seu´ sonho.", nas quais não vejo o "você" subentendido.
    De qualquer forma, gostaria, inclusive, de que esses dois comentários meus fossem excluídos. Não tenho a menor intenção de diminuir a beleza do texto.
    Marcos Sousa/Natal.

  7. ... on 19 de agosto de 2009 11:15  
  8. P. IZABELA disse...

    Como essa moça deve ser feliz por ter uma mãe tão incrível.
    Saudades mil, querida amiga!

  9. ... on 16 de outubro de 2009 03:40  
  10. cristina disse...

    Poxa, Cris!

    Vc conseguiu me emocionar c/ esse texto tão maravilhoso! Exatamentem hoje, que faz 01 ano e 06 meses q minha querida mãe faleceu...que a Manu, sempre tenha orgulho dessa mãe tão amorosa...
    Apesar de não convivermos, amo muito vc. Vc é realmente especial...bjos c/ gostinho de lágrimas de saudades materna...

  11. ... on 21 de outubro de 2009 18:22  
  12. disse...

    Aiii, que lindo, Crisinha!
    Confesso, chorona que sou, escorreram diversas lágrimas do meu infinito estoque.

    Parabéns!
    Beijo!

  13. ... on 11 de agosto de 2010 20:25